terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Tremei!

Começa amanhã o resto da época e não quero saber do Sá Pinto para nada, a verdade é esta. Não me apetece falar de politicas, apetece-me falar de bola, porque agora é que a bola chegou a sério. Deixo o Sá Pinto para a semana, depois das duas vitórias nos dois primeiros jogos meterem os sportinguistas de barriga para o ar.

Para já, só duas notas:

- O Coração de Leão tomar posse no Dia dos Namorados é engraçado, e veremos se não é premonitório;

- Sem querer, encostado à parede, o Sporting é bem capaz de ter acertado, por aquilo que vou observando e racicinando. Dentro dos limites daquilo que, para o Sporting, é acertar, claro. Repare-se que nestes dois dias já se falou não sei quantas vezes do «sucesso» do Paulo Bento, quando o sucesso do Paulo Bento foi ter ganho duas Taças e ter ficado três vezes em segundo no campeonato. Porto e Benfica adorariam que Sá Pinto ficasse 20 anos no Sporting com este tipo de sucesso. Eram mais 20 campeonatos para distribuir entre os dois.



Falando do que interessa…



Estou com grande curiosidade em ver a equipa que o Jesus vai escolher para o jogo de amanhã. Eu, no momento de definir prioridades, não teria dúvidas em resguardar jogadores para o jogo de Guimarães. Por duas razões.

Em primeiro lugar, porque jogar naquelas condições vai dar disparate. É demasiado exigente para o físico para não virem de lá, pelo menos, dois jogadores tocados, e isto num momento em que Javi Garcia já não vai jogar.

Em segundo lugar, porque estou plenamente convencido que o segundo jogo é que vai decidir a eliminatória.

O sucesso do Benfica nesta eliminatória passa por defender muito bem na Rússia, marcar um golo e deixar a passagem em aberto para o segundo jogo, que virá no final do ciclo decisivo para o campeonato, com a equipa (se tudo correr bem) com o título encaminhado e sem ter mais nada na cabeça, a jogar em casa. Na Luz, o Benfica pode fazer o resultado de que precisa, desde que não o comprometa na Rússia.

A eliminatória é equilibradíssima, e penso que poderá ter ficado decidida com a lesão de Danny, que seria o jogador fundamental do Zenit na 2.ª mão.

A ausência de Javi Garcia não deve ser menosprezada. Ter Matic não é o mesmo que ter Javi, em nada, mas sobretudo em cultura defensiva. A lesão de Javi, aliás, vem na pior altura, e é problemática. De facto, juntamente com Luisão e Artur, Javi é, na minha opinião, um dos três jogadores que não têm substituto à altura na equipa, quer pela qualidade quer pelas funções específicas que desempenham. A saída de qualquer outro jogador não obriga a nada mais que uma mudança de pessoal. A saída de Luisão e Javi obriga a mudar estratégias, porque a sua substituição requer sempre um jogador e meio – ou seja, dois jogadores. Neste caso. Witsel vai ter de fazer de uma parte de Javi, e ofensivamente o meio-campo vai ressentir-se.

Não devemos também menosprezar o facto de este ser um dos jogos mais importantes na carreira do Jesus. Neste momento, o Jesus é um treinador já a alargar horizontes, e a Liga dos Campeões é o espaço para ele se mostrar. Já aconteceu este ano e vai voltar a acontecer. Aliás, o contrário é que seria estranho, e penso que os próprios jogadores, que sonham com a Champions, não ficariam agradados se sentissem que o treinador punha em causa a prestação da equipa nessa competição para proteger jogadores. Os jogadores não querem ser protegidos na Champions, querem é jogá-la, porque campeonato há todas as semanas. Mesmo que dissessem o contrário (e não dizem, note-se).

Curiosamente, acho que o estado do relvado e a lesão do Javi Garcia, apesar de dificultarem a vida à equipa, podem facilitar as decisões de Jesus. O terreno pesado pode levá-lo a apostar em jogadores mais físicos. Não me admiraria que Gaitán e Aimar não jogassem de início e que Jesus os guardasse para a passagem da hora de jogo, tentando optimizar o único factor que tem a seu favor: a falta de pedalada do Zenit, faz o seu primeiro jogo a sério depois das férias.

Não me surpreenderia mesmo nada ver o Benfica a entrar com Artur; Maxi, Luisão, Jardel e Emerson; Witsel, Garay e Matic; Bruno César, Cardozo e Saviola, com Aimar, Gaitán e Rodrigo a entrarem na segunda parte, apesar de ser mais provável que Jardel não jogue e que um destes três (provavelmente Gaitán) ou Nolito comecem o jogo.

Sei que o Jesus vai tentar surpreender o Spaletti (ou, segundo a gíria benfiquista, inventar) só não sei onde.



A grande questão para o Benfica vai ser conseguir marcar. É verdade que, normalmente, o Benfica marca, mas esta é uma situação extraordinária. Além de tudo o resto, convém não esquecer que o Zenit é uma das equipas que mais aproveita o factor casa na Europa, seja porque razões for, com bom ou mau tempo. Há uma própria cultura que se cria, e isso, nos jogos europeus, conta muito.

Penso, friamente, que arrancar uma vitória em São Petersburgo não está ao alcance do actual Benfica, que um empate é possível mas improvável, e que provavelmente o Zenit vai acabar por conseguir desequilibrar numa jogada fortuita, por mero à-vontade de jogar em casa.

Também penso que, no cômputo geral, o Benfica é ligeiramente superior ao Zenit (sobretudo sem Danny) e jogo nisso para decidir a eliminatória.

Em conclusão, considerando tudo isto, e sobretudo por causa das lesões, que vão ser mais influentes que o frio, prevejo, mais ou menos, o seguinte: vitória do Zenit, na Rússia, por 2-1, e vitória do Benfica, na Luz, por 3-1, eventualmente no prolongamento. É assim tão equilibrada esta eliminatória.



Já que estamos em dia de amores e almas gémeas, falo também do Porto.

Continuo a dizer que o Porto vai passar a eliminatória. Os factores que identifiquei na altura do sorteio mantêm-se intactos. Confirma-se que o City caiu de produção, como era previsível que caísse, e o facto do primeiro jogo ser jogado nas Antas favorece o Porto, porque joga em casa sentindo que tem tudo em aberto.

Não é problemático para o Porto não ter o Manko. Duvido que o Manko jogasse este jogo mesmo se pudesse. O Porto vai beneficiar de um autêntico privilégio para qualquer equipa de topo: poder jogar em contra-ataque em casa, algo que praticamente nunca acontece e que desta vez vai acontecer. Nesta estratégia, é melhor para o Porto ter três avançados rápidos do que dois, sobretudo com o Hulk no meio. Com uma equipa pequena, é contra-produtivo; com uma equipa grande é o ideal. Ter espaço para correr e jogar, com avançados tecnicamente muito superiores aos defesas adversários, em casa, com a motivação no topo, no que pode ser a última oportunidade para mostrar a toda a gente que continua a ser uma equipa de Champions, contra uma equipa suficientemente boa para exigir o máximo mas muito longe de se encontrar fora de alcance (pelo contrário) – eis o cenário ideal com que o Porto se vai deparar na 5.ª feira. Hulk e James, a jogarem para o contrato, vão detonar a defesa inglesa.

Também há o factor Lucho, que traz experiência e confiança. Lucho tem a tarimba europeia toda. Aliás, o Porto tem uma equipa mais experiente, em termos europeus, que o City, e isso vai ser importante na abordagem ao jogo. O Porto vai saber como abordar a eliminatória, e não só o jogo. O City, duvido. Aliás, é só por não ter experiência europeia  que o City está na Liga Europa e não na Champions, porque qualidade não lhe falta.

Duvido muitíssimo que os factores de motivação do City lhe permitem arrancar sequer um empate nas Antas, e consigo ver perfeitamente o Porto a empatar em Manchester, se tiver de o conseguir para passar a eliminatória. O Porto tem tarimba suficiente para isso.



O que prevejo nesta eliminatória: vitória do Porto nas Antas, com 2 ou mais golos marcados, e o resultado necessário para passar, na 2.ª mão, em Inglaterra, mesmo que seja uma derrota.



Sendo assim, para meter o dinheiro falso onde tenho o paleio, aqui fica uma ronda europeia da Liga Bwin, já com o Sporting, cuja antevisão deixo para amanhã (e ainda bem que não apostei no Braga…):



Zenit-Benfica

6 euros na vitória do Zenit, a 2.55. (Bem gostava eu de meter os 6 euros no empate, a 3.20. O coração manda, mas a razão não deixa)



Porto-Manchester City

8 euros na vitória do Porto, a 2.75



Legia-Sporting

9 euros no empate do Sporting, a 3.20 (uma odd óptima, digo de passagem. A vitória do Sporting está a 2.15. Irrealista, atrevo-me a dizer.)

13 comentários:

  1. 11 do Benfica: Artur, Garay, Luisão e Emerson; Matic, Witsel; Gaitán, Aimar, B.César; Rodrigo. A lesão de Javi foi a pior notícia da semana (até agora) mas estou confiante. Amanhã não perdemos, e não me surpreenderia se ganhássemos. 1-1 é o meu prognóstico. A lesão de Danny aumentou as nossas hipótese de passar em, vá, 35%.

    Quanto ao Porto mantenho o prognóstico. Os tripeiros vencem o primeiro jogo por 2-1 mas voltam de Inglaterra com 4 batatinhas no saco.

    O Sá Pinto é óptimo para o Sporting. Ninguém está a espera de nada de especial vindo dele, portanto ninguém se vai queixar se os lagartos se mantiverem na mediocridade. Agora se a ideia era ganhar títulos, não me parece ter sido grande escolha. Era mais provável se a entrada do ex-pugilista implicasse a saída dos Godinhos, dos Duques e dos Freitas. E dos Cristóvãos, já agora.

    ResponderEliminar
  2. Gosto da ideia de ter Jardel na defesa e garay a meio-campo. 'E um jogador que faz bem as dobras e que sabe lancar ataques. Quanto ao Saviola, era jogar com menos um. No teu 11 idealizado, tiraria esse para meter o Nolito, e depois na segunda parte tirava o Jardel e o Bruno Cesar para meter Aimar e Rodrigo. Obvio que este jogo 'e para ganhar a menos que haja um nevao.

    Do Porto, espero que ou 1) passe, para ter mais dois jogos e nao se poder concentrar so no campeonato ou 2) seja humilhado. O Mancini 'e uma besta a gerir balnearios mas com aquela gente que ele tem la, num dia bom, espeta 5 ao Porto como quem tira doces a criancas.

    ResponderEliminar
  3. Não costumo fazer prognósticos, mas hoje apetece-me brincar.

    Primeiro o que concordo. 1. Que será o 2º jogo que obviamente decidirá a eliminatória. 2. A lesão do Danny inclinou decisivamente a eliminatória a nosso favor. 3. Vai apostar em jogadores mais fortes fisicamente. Não acredito que joguem o Aimar ou o Saviola. A não ser que o campo esteja tão seco que o Aimar pode entrar na 2ª parte.

    Não concordo que a ausência de Javi se note. E vai ser decisivo em Guimarães. Matic vai fazer muito bem o lugar pois também é forte físicamente. O frio não desgasta mais o físico. O calor sim. Eu sei do que falo, pois joguei (treinei) muitas vezes com −10º e −15º, mas com uma diferença: joguei sobre gelo e neve, pois os campos onde jogava (treinava) não eram aquecidos. E aí sim pode ser um problema por causa das lesões. Mas nunca me lesionei. Mas não é o caso aqui pois o campo está aquecido.

    Acredito que vamos ganhar ou empatar. No entanto, se nevar e a neve se acumular no campo, retiro tudo o que disse. "All bets are off".

    No caso do Porto, penso que não ganham. O City tem uma grande equipa e grandes jogadores. O Porto não passa a eliminatória.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh manel, isso do Javi e do matic nao tem a ver com força ( e já que tocou nisso, nem se compara, o javi é bem mais forte que o sérvio). Tem a ver com experiência, matreirice, cultura táctica intensidade de jogo etc ...

      Eliminar
    2. É isso e outra coisa, também: o Javi é um 6 purinho, um especialista; o Matic é um box-to-box adaptado à função de trinco. Vê-se, claramente, que tem mais «largura» de campo, mais técnica, mais passe, faz mais coisas bem do que as que o Javi conseguiria fazer (poder-se-ia até dizer que, nesse sentido, é mais jogador), mas é um generalista, e o lugar do Javi é para ser ocupado por um especialista, neste caso um destruidor de jogo. O que o Jesus quer ali é mais um perfil que um jogador. Vejo o Matic muito mais útil como um bom médio-centro num jogo cerrado do que como um trinco. Mas não há alternativa melhor - e tem de chegar.

      Eliminar
    3. A ver vamos, dizia o cego. A prática é que conta e dentro de duas horas já sabemos. Por vezes, o jogo corre de uma maneira diferente do que se conta, o que pode fazer com que as características de um jogador com que não contamos, afinal, contem de maneira decisiva. Ambos têm lados positivos e negativos, como toda a gente e tudo o que existe no mundo.
      O facto de ser um box-to-box, como muito bem diz o Hugo, pode ser decisivo neste jogo. De uma coisa podemos estar certos: o Matic está motivadíssimo, já está habituado a jogar no frio e vai dar o melhor. Isso é o mais importante. E vamos ganhar!

      Eliminar
  4. O teu primeiro paragrafo vai contra a tua aposta no ceportem!

    ResponderEliminar
  5. Resultados positivos.

    Ex-pugilista? Faz-me lembrar aquela: «Podes tirar a pessoa da rua, mas não podes tirar a rua da pessoa». O Patrício que não se ponha a pau e ainda leva dois borrachos para acordar.

    Até o Benfica do Eusébio se via aflito no Leste europeu.
    Seja como for, o futebol europeu, a este nível, é um espectáculo. Não tem nada a ver com o futebol interno. É outra emoção.

    ResponderEliminar
  6. Aimar no banco, à espera que eles se cansem para entrar na dança na segunda parte, assim como Nolito. Sem surpresas.
    Rodrigo na frente de início e Bruno César no lugar de Nolito. Poder físico, com o Rodrigo solto para partir a defesa. Cardozo para os livres e para encostar se ela aparecer em frente à baliza. Gaitán como criativo. Basta um golo e não sofrer mais de 2.

    O Jesus altera a táctica dos jogos fora por causa da ausência do Javi (senão metia Javi, Matic e Witsel) e do terreno pesado.
    Tudo em ordem. Não inventou em demasia, não vai desequilibrar a equipa. Agora é jogar.

    ResponderEliminar
  7. Meu Deus, o Emerson está de manga curta. O caso ainda é pior do que eu pensava. Não é só técnico. Também é um caso mental!

    ResponderEliminar
  8. O Emerson jogou à guerreiro viking, para dar o exemplo. Esteve atrás de 2 centros que no 1º o Cardoso falhou e no 2º marcou. O que eu não contava é que o Maxi estivesse envolvido em 3 golos. lol. O 3º deles foi imperdoável.

    Mas olhem, se fosse o Emerson que tivesse feito aquele passe para o 3º golo deles, toda a blogosfera benfiquista se levantava em revolta contra o desgraçado, contra o LFV e o JJ!!
    Enfim, imbecis é o que mais se vê neste mundo, especialmente na blogosfera benfiquista! Não são muitos mas fazem muito "ruído", especialmente quando esfregam as patas de trás!!!!!

    ResponderEliminar
  9. Horrivel. Ja nao via algo assim desde os tempos do Paulo Madeira, Bermudez e companhia.

    O Emerson fez o que pode e sabe. Culpa-se frequentemente o Benfica por nao dar oportunidades que chegue aos jogadores. O Emerson teve imensas oportunidades ja que tem sido titular durante 6 meses e continua igual ao que estava em Agosto. Mais coisa, menos coisa, acredito que tera atingido o seu potencial. Neste sentido, nao percebo porque nao joga o Capdevilla. Enfim.

    Pior mesmo foram Luisao e sobretudo Maxi. Nojento. Os comentadores ingleses que relatavam a emissao que eu estava a ver estavam incredulos com a defesa do Benfica e com o redes do Zenit (mas esse ao menos 'e suplente).

    A analise do Hugo ao 11 inicial no comentario acima, se me permite, era o que eu meu pai charia de "fazer gaiolas". O 11 inicial era CLARAMENTE uma equipa partida em dois, que so daria resultado num dia bom ou contra mancos. Dois pontas de lanca sem ninguem atras deles. Eu diria que o frio afectou o cerebro ao JJ.

    Essa do Nolito como arma secreta 'e outra que nao cola. Podes ecsrever 10 posts sobre isso, mas nao cola. O Bruno Cesar pura e simplesmente nao 'e titular nesta equipa. De qualquer maneira, meter a arma secreta aos 76'...

    Minha Nossa Senhora.

    Valeu-nos (mesmo muito) o redes do Zenit, porque senao por esta altura estariamos ja 100% focados no campeonato...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. *chamaria de "fazer gaiolas"

      Eliminar