quinta-feira, 29 de março de 2012

«A dádiva faz o escravo»

Não invalidando que venhamos a falar ainda muito sobre este assunto daqui a uns meses (não é preciso ser bruxo pra adivinhar…) a aproximação do fim de mais uma época falhada em termos desportivos vai aumentar o barulho em relação ao Vieira. E bem, diga-se, uma vez que o falhanço deve ser sempre motivo de discussão e reflexão.

Devo acrescentar, contudo, que este falhanço de que falo não é na minha perspectiva. É a perspectiva da maioria dos adeptos, que partiu para esta época com a ideia de que o Benfica deveria ser campeão. Não era a minha. Eu pensei que o Benfica iria ser campeão, mas que o seria contra as probabilidades. Numa perspectiva realista, uma época positiva, para mim, como já referi, e tendo em conta o ponto de partida, seria acabar em segundo no campeonato, lutando até ao fim, chegar aos oitavos-de-final da Champions e ganhar uma das outras competições se se chegasse à final. Neste momento, uma época positiva está em aberto, podendo mesmo ser mais que apenas positiva se se confirmar o segundo lugar.

Considerando como a época decorreu até Janeiro, contudo (bem acima das expectativas), sabe a pouco, e é esse o sabor que vai ficar em toda a gente.

O Vieira.

Devo dizer, antes de mais, que me faz urticária ver um presidente do Benfica durante dez anos (já nem sei em quantos vai ao certo). Isto não é o Benfica, e espero que nunca mais aconteça. Mas só aconteceu porque o que o originou também não podia ser o Benfica. Tivemos, nós, os mais antigos, o drama ou o privilégio de viver o pior período na história centenária do Benfica. Muito poucos de nós tiveram oportunidade de conhecer o que achamos ser o verdadeiro Benfica, mas se calhar, ao testemunharmos os últimos vinte anos, teremos, um dia, a oportunidade de explicar aos que vierem a seguir a nós que o verdadeiro Benfica também pode ser aquilo: um monstro místico que tão depressa se lança para o céu como se atira para os infernos. (Seja como for, é bom poder escrever aquilo, e não isto, para descrever o que vi o Benfica ser)

Não gosto da palavra gratidão para falar de Vieira. É uma palavra muito perigosa. Há um ditado índio americano que diz: «A dádiva faz o escravo.» Não é disso que o Benfica precisa. Mas gosto da palavra justiça, que é muito diferente.

É justo acrescentar à situação crítica em que o Benfica se encontrava outro factor muito importante no(s) mandato(s) de Vieira: a situação de concorrência altamente desigual em que teve de competir. Não era só nos bancos que o Benfica não tinha crédito: também não o tinha no sistema do futebol português, formatado para servir um clube cujo grande objectivo era precisamente asfixiar, desportiva e psicologicamente, o Benfica. Foi e é uma luta colossal, que já não conseguirá ser Vieira a ganhar – até porque, ao combater o sistema dentro do sistema, comprometeu a sua credibilidade – e que obrigará o Benfica a dar um salto qualitativo, em termos éticos, nos próximos anos.

Acho que, desde que não borre completamente a pintura nos próximos meses, é justo que Vieira tenha mais um mandato. Pelas seguintes razões:

- porque o contrato com a Olivedesportos é o símbolo de uma era. Devia ser colocado numa moldura por cima da cadeira presidencial para que nenhum futuro presidente do clube se esqueça de como um clube grandioso pode ficar à mercê de dois chicos-espertos merdosos de Penafiel e, através dele, dos que os usaram para esmagar o Benfica. Aquele contrato é o garrote da vergonha, a prova de uma era em que o Benfica foi forçado, por erros próprios, a aceitar por um contrato de seis anos o valor de um ano de direitos e ainda ficar grato por lhe adiantarem o dinheiro.

Só se pode considerar que o saneamento financeiro e anímico do Benfica estará feito quando aquele contrato desaparecer, e é justo que Vieira possa ter, pelo menos dois anos de ar puro para mostrar se aprendeu ou não a utilizar os recursos que o clube, em condições normais, pode gerar (e atenção, mesmo considerando que foi o Oliveira que ajudou a pô-lo lá, mas vamos passar por cima disso, porque já muita água passou também por baixo da ponte);



- porque há uma luta em curso, e o tempo joga a favor de Vieira e do Benfica, pela própria lógica da vida e da dinâmica de poderes. Quanto mais o tempo avança maior é a tendência do Benfica para se fortalecer e do Porto para decair. Não será tanto por causa do talento de Vieira que isso acontecerá, mas pela lei das probabilidades. Pela lei da gravidade. Seria importante, em termos históricos, que Vieira saísse como «o último a rir» na batalha com o Porto e com Pinto da Costa. Não é por causa dele, porque nenhuma simpatia me move, pessoalmente, em relação a Vieira, mas porque seria um presidente do Benfica a ganhar uma guerra, e por intermédio dele o Benfica a ganhar uma guerra. Simbolicamente, ficaria como um exemplo para o futuro.



- porque os benfiquistas ainda estão acomodados, e porque nós, os mais velhos, como se disse nos comentários ao último post, ainda temos muito medo de voltarmos a ser enganados. Já aqui disse que o ideal seria o Vieira preparar a sua sucessão, não com um delfim nem com um herdeiro mas abrindo a porta a um pequeno conjunto de personalidades, de preferência novas em termos mediáticos. Não quero cá barões e muito menos Bagões, peço desculpa, mas isso é tudo malta que até para limpar o cu pede despacho. Bagões, Searas e quejandos só são hipótese porque a grande massa benfiquista se tem mexido pouco e eles aparecem mais na televisão. Na verdade, são pessoas sem ideias inovadoras, sem carisma, sem capacidade de liderança, são burocratas, não são líderes. Um presidente do Benfica tem de ser um homem prático, não pode ser um político nem pode ser um burocrata. Já não vou ao ponto de pedir um presidente da classe média, que os tempos já não estão, infelizmente, para isso, como noutras alturas estiveram, mas alguém que não esteja comprometido com ninguém e que tenha a ambição de fazer o Benfica outra vez grande. Os Bagões são uns totós. Não são gente da guerra. Qualquer clone das virilhas de Pinto da Costa os come de cebolada.

 É praticamente impossível que o Vieira tome essa iniciativa, mas quanto mais tempo passar maior é a probabilidade de aparecer gente nova, boa e credível.

13 comentários:

  1. 2-1 para defender com uma viagem à Ucrânia antes do Sporting-Benfica. Melhor do que isto se fossem e viessem de bicicleta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. se fosse a prolongamento melhor ainda

      Eliminar
  2. Eu ando um bocadinho a Leste, mas deixa ver se percebi: o Benfica vai jogar com o Braga com o Miguel Vitor no lugar do Jardel e o Capdevilla no lugar do Emerson?

    Dois jogadores de futebol co um total de competição na época de 17 minutos no lugar de duas tentativas de defesa retirados compulsivamente de competição?

    Tu queres ver que o Benfica ainda vai mesmo conseguir ganhar este campeonato? Tu queres ver que o Jesus tem mesmo o cú virado para a Lua?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma bofetada de luva branca ao JJ é só o que peço a esses dois.

      Eliminar
  3. muito bem, é precisamente essa a minha ideia.

    ResponderEliminar
  4. Off Topic:

    É por estas e outras ''idênticas'' que cada vez mais tenho os Blogspot como referência - Eis algo sobre o qual deveríamos ponderar:
    http://ontemvi-tenoestadiodaluz.blogspot.pt/2012/03/reerguer-o-benfica.html

    Ass: Scorpion

    ResponderEliminar
  5. Off topic:

    O Hugo esta sempre a dizer que a solucao dentro da realidade actual 'e saber fazer batota melhor que os outros.

    Acerca disto, tenho a dizer que, se o Veiga nunca tvesse saido do benfica, neste momento era bem possivel que o Benfica fosse ja tao ou mais forte que o Porto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo.O Veiga,pese os seus defeitos e problemas era pessoa para isso.Basta ver a volta que deu ao problema psicológico de ir jogar ao Porto.
      Tambem tenho de concordar que Bagões e Cia não servem minimamente para governar o clube num futuro proximo ou até distante.Não passam de sanguessugas sem ideias.No dia que Vieira sair será preciso alguem arrojado com ideias novas mas sobretudo com vontade e ambição de colocar o clube lá em cima.Mas até lá ainda falta.Levará ainda o seu tempo mas a proxima decada é importante para irmos desfazendo ao pouco o Fcp,o fazer cair lentamente.Não pode é haver tiros no pé ou estagnarmos na evolução da equipa.

      Eliminar
  6. O post não deixa de ser pertinente mas acho-o demasiado teórico. Da parte que me toca ando cansado de LFV e tal como muitos benfiquistas, tenho a forte convicção de que se aproveita do clube para o seu sucesso pessoal e empresarial, mas também qual é o presidente que não o faz? Não quer dizer que seja correcto ou que nos estejamos a borrifar para isso, no entanto ponho-me no seu lugar e acho que se o clube tivesse mais sucesso desportivo ele próprio também ganharia mais com isso, e nós andáva-mos todos felizes e a cagar de alto para as finanças e o número de jogadores emprestados.
    Um dia o SLB voltará (com ou sem Vieira) ao ritmo certo de vitórias, no entanto e antes de lá chegar-mos, é preciso ter a noção que o sucesso embebeda, veja-se os adeptos do fcp que nem querem saber de mais nada senão de foder o SLB e somar mais titulos, mesmo que isso envolva off-shores, putas, conselhos matrimoniais e que muitos se andem a encher à grande à conta do clube e o passivo aumente, e isto é mau, não quero que aconteça ao meu clube. Por isso eles vão implodir mais tarde ou mais cedo. No dia em que o Benfica se volte a assumir como dominante no panorama interno é importante que não haja "sombras de bananeira" e que continuem a haver posts como o que o Scorpion acima sugere, e que já tive o prazer de ler. E esta atenção Hugo, é também uma herança importante de transmitir à tal geração "1 em 5".

    Quanto ao sporting não se esqueçam que em Londres também pode haver prolongamento, nem quero pensar.

    Lembro também que Witsel não poderá ver amarelo senão em Alvalade nem Witsel, nem Aimar e com Emerson... nem quero pensar - parte II.

    ResponderEliminar
  7. Respeito o que Vieira fez de positivo no Benfica. Quando Vilarinho pegou no clube pouco havia e só se ouviam relatos de dívidas e credores e coisas pouco compatíveis com o passado do Benfica. Primeiro Vilarinho, depois Vieira, recuperaram e credibilizaram o clube, permitindo que o Benfica tenha crescido na dimensão empresarial e recuperado alguma coisa em termos desportivos.

    Confesso que, do ponto de vista pessoal, não simpatizo com Vieira. Não creio que a gestão desportiva tenha sido a melhor e até este ano se podiam referir vários aspectos onde essa gestão foi auto-destrutiva e até favorecedora de adversários (Perez, Amorim, por exemplo). Do ponto de vista pessoal, creio que o percurso de Vieira devia terminar aqui. Se votar nele, fá-lo-ei contrariado e apenas se não existir uma alternativa credível.

    Vieira foi de grande importância numa fase decisiva da vida do clube. Será, seguramente, recordado por isso e manifesto o meu apreço pelo que fez, mas não creio que ainda seja uma boa solução para o Benfica. Com a golpada estatutária, pode ter eliminado alguns concorrentes com notoriedade suficiente para ombrearem com ele em conhecimento por parte dos Benfiquistas, mas será, no máximo, a alternativa menos má.

    ResponderEliminar
  8. Para mim a dupla LFV e JJ atingiram o seu principio de Peter.LFV ficará na história do Benfica como um Presidente que reergueu o clube.Assim,obrigada,adeus e vai-te embora.Só espero que haja alguém credível pois não pretendo votar no LFV.Com o meu voto não.Realmente dei o ex. do Bagão Félix porque o tenho como homem sério,mas realmente isto precisa de um rato tipo Veiga(não o próprio,apenas o tipo)para por em sentido a mafiagem toda,e aqui não me refiro apenas ao Porto mas aos árbitros e FPF ou seja alguém que saiba jogar sujo.Contra factos não há argumentos e vejo-me forçado a pensar assim.

    ResponderEliminar
  9. Só espero que não haja mais invenções do JJ no jogo com o Braga.

    ResponderEliminar
  10. Dass estou sempre com o coração na mão com o JJ.

    ResponderEliminar